por Oscar D'Ambrosio


 

 


  O vigor da arte naïf do Mato Grosso

           

            A arte naïf tem no Mato Grosso uma de suas principais expressões. Os artistas locais ou radicados no Estado apresentam características comuns ao gênero, como serem geralmente criadores não-eruditos e desenvolverem temas populares muitas vezes inspirados no meio rural.

            As cores vivas, a imaginação, a estilização e o poder de síntese caracterizam os trabalhos exibidos e premiados neste I Salão de Arte Naïf em Mato Grosso, na Assembléia Legislativa de Mato Grosso, em Cuiabá, em novembro de 2006. Há neles a presença marcante do inconsciente coletivo, assim como uma constante renovação de assuntos e técnicas, que se deixam penetrar por influências consideradas eruditas, embora conservando a sua natureza popular.

            Sabedoria milenar, sonho de uma vida melhor e conhecimento plástico, assim, se irmanam em obras difíceis de definir sob uma única catalogação. O importante está na sua autenticidade e na maneira como enfocam questões sociais, principalmente a destruição do meio ambiente e a violência urbana, com espontaneidade e informalismo, ou seja, liberdade para não respeitar  aspectos formais acadêmicos, como composição, perspectiva e cores reais.

            O que aproxima, acima de tudo, os artistas deste Salão é a autonomia do tratamento do espaço pictórico, o uso expressivo e ornamental das cores, o toque onírico que diferencia o universo criado da realidade e o sopro criativo e poético de cada artista. Nesse sentido, como mostra esta exposição, o Mato Grosso se destaca pela quantidade e qualidade de sua produção.

 

Oscar D’Ambrosio, jornalista, é mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes (IA) da UNESP, campus de São Paulo e integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA-Seção Brasil).

 

 

 



 

artCanal

 

Outros Artistas

 

Oscar D’Ambrosio