por Oscar D'Ambrosio


 

 


Maazo Heck

 

            Associação entre o saber e o sentir

 

            O crítico de arte Gregory Battock, na introdução de A nova arte,  aponta que, na arte contemporânea, “o interesse do artista transferiu-se de valores exclusivamente pictóricos para considerações sobre as extensões dos meios”. Se, por um lado, essa postura propicia um sem-número de pesquisas; por outro, justifica, por vezes, trabalhos aparentemente injustificáveis em nome da experimentação.

        A obra de Maazo Heck obriga a repensar a questão em seus trabalhos mais recentes, realizados com o uso de capinhas de Cd como suporte ou como molduras. Está aí um artista plástico que coloca seu conhecimento técnico a serviço de um novo recurso.

Nascido em São Paulo, SP, em 1951, mas radicado em Salvador, BA, por três décadas, Heck formou-se como artista plástico na Universidade Federal da Bahia, tendo sido premiado em salões e bienais e alcançado sucesso de vendas com toda uma pesquisa de cunho hiper-realista com corpos femininos como assunto.

            Atualmente lecionando na EFA – Escola FIEO de Arte, em Osasco, SP, Heck, presente na importante publicação +100 artistas plásticos da Bahia – Salvador, da galeria de arte baiana Prova do Artista, tem ainda em seu currículo o curso de pós-graduação em Artes da Universidade São Judas Tadeu, SP.

            O fascinante da obra de Heck com as capinhas, geralmente colocadas em estruturas horizontais de 15 Cds, é que elas obedecem duas formas de composição. Há a pintura com tinta acrílica diretamente sobre o suporte, principalmente em tom de azul – o que dá, ainda mais a distância, a aparência de serem até peças feitas em azulejo.

            Existe, também, uma segunda vertente, mais desafiadora ao olhar, em que, com técnica mista, imagens são pintadas e colocadas, com fundo branco, dentro da capinha do Cd, que funciona como uma autêntica “moldura sanduíche”. A vantagem desse recurso é que os trabalhos, colocados, lado a lado, podem pela sua mobilidade intrínseca, terem a ordem alterada em função de variações do gosto do artista ou mesmo em um projeto de interação com o público.

            Uma das séries mais interessantes é a intitulada Peregrino, na qual uma figura solitária aparece em diversos tons de dourado caminhando por um espaço vazio. Constitui um retrato atual sobre a solidão existencial de seres humanos mergulhados em si mesmos e cada vez com maior dificuldade de se comunicar com os outros e com si mesmos.

            O peregrino que vai e vem pelas capinhas de Cd pode, ainda, numa leitura bem livre do ato criativo, lembrar o jogo do pintor em suas camadas de veladuras. Oriundo de uma prática que valoriza o conhecimento técnico, Heck, que costumava trabalhar com telas de grandes proporções,  realiza, na atual pesquisa com suportes menores, a concentração do exercício da prática artística.

            Embora o azul e o dourado predominem, a experimentação com verdes e vermelhos constitui uma vereda a ser percorrida, permitindo novas possibilidades de criação de gradações cromáticas, sem contar vertentes  de desenvolvimento plástico que incluem o pensar de algumas imagens que Heck utilizou em fases anteriores, como os mencionados corpos nus, além de frutas e algumas composições em que o referente concreto vá se diluindo, cedendo espaço à abstração e à criação de atmosferas.

            O uso do Cd como suporte não só aponta para uma versão do reaproveitamento e da circulação constante de materiais. Indica ainda para uma exploração pelas artes plásticas dos mais variados elementos, sejam eles retirados do cotidiano ou não. As capinhas funcionam, nos melhores trabalhos de Heck, como exercícios de pintura. Mostram que o domínio da técnica, associado à criatividade, supera a experimentação vazia pelo fato do saber fazer estar associado ao sentir, tanto no ato de criar como no de observar, facetas que se interpenetram nas obras de qualidade.

           

Oscar D’Ambrosio, jornalista, mestre em Artes pelo Instituto de Artes da UNESP, integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA-Seção Brasil).

 

 
 

No Netscape clic com botão direito para ver a imagem


Fechar Foto                                                                                              Abrir Foto

 


Quadrante (detalhe)

tinta acrílico e carimbo sobre caixa de Cd
Maazo Heck

 

artCanal

 

Outros Artistas

 

Oscar D’Ambrosio