por Oscar D'Ambrosio


 

 


   Ivo Perelman

 

            Entre o impulso e a razão

 

            O talento de Ivo Perelman como saxofonista dispensa comentários. Os elogios ao seu trabalho são superlativos e merecidos. Sua obra plástica, no entanto, é muitas vezes atrelada a esse talento como se fosse um apêndice, não um mecanismo autônomo de expressão.

            Suas obras em gesso sobre tela em preto e banco conquistam pelo menos por dois fascínios que se interpenetram: existe, por um lado, a questão do impacto visual das manchas sobre o suporte; e, por outro, embora não menos importante, estão as texturas ora delicadas, ora mais espessas do gesso.

            O conjunto encanta também pela representação muito próxima ao universo artístico oriental, marcado pelo conceito de que o instante é mais essencial do que as noções de passado e futuro; e pela reflexão permanente sobre a presença e a ausência de cor como o mais notável mecanismo da pintura.

            O ritmo que se observa nas composições de Ivo Perelman é o de alguém que conhece o espaço. Encontra nele a matéria-prima que lhe possibilita dar vazão ao impulso de um processo visual intuitivamente caracterizado pela liberdade expressiva no que tange à criatividade, mas racionalmente contido pelo rigor na busca de uma manifestação cada vez mais próxima da essência. É nessa união entre o excesso e a razão que a obra do artista cristaliza seus momentos mais significativos.

 

Oscar D’Ambrosio, jornalista e mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Unesp, integra a Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA- Seção Brasil).

 

 

 

 

No Netscape clic com botão direito para ver a imagem


Fechar Foto                                                                                              Abrir Foto

 

  Early Spring
técnica mista sobre papel 70 x 100 cm sem data

Ivo Perelman

 

artCanal

 

Outros Artistas

 

Oscar D’Ambrosio